14 abril 2008

"The Way You Do The Things You Do"


Hoje ouvi os UB40 e logo me lembrei das várias viagens que fiz de carro, nos anos 80, a Marrocos. Esta era uma das músicas que ouvíamos nas várias cassetes que tínhamos no carro o que tornava o ambiente meio sui generis pela mistura do som árabe na rádio, o reggae, a pop e a new wave nas cassetes da época. Sempre com o volume no máximo e prego a fundo desbravávamos estradas desertas africanas quase até ao limite… Até à fronteira porque em terras Algerianas já não nos aventurávamos! A primeira vez até Zagora, a segunda até Erfoud…. Outras vezes mais perto para podermos gozar da confusão citadina de Marrakech e Fez, ou até pernoitar em Azrou, no Atlas, com neve e observar macacos a saltar de árvore em árvore. Só tínhamos de calcular o tempo necessário para o regresso, não fosse o diabo tecê-las!!! Carreávamos milhares de quilómetros em 4 dias só para ver aquelas paisagens espectaculares, dignas de muito filme do far west, sentir os cheiros característicos, saborear as deliciosas laranjas, tangerinas e as tâmaras que nos ofereciam em cestos redondos planos enormes ou até os ovos mexidos numa tasca perdida nas montanhas. Ouvir o silêncio do deserto quando dormíamos no carro de portas abertas (medo!), oferecer cassetes gravadas por nós em troca de lagartixas vivas (que acabávamos por rejeitar) ou permutá-las com visitas guiadas, por miúdos de 12 ou 14 anos, ao marchant de tapetes, ou doutro consumível procurado, que provavelmente até era seu familiar. Era a total liberdade para fazermos aquilo que nunca faríamos na nossa terra, que nos movia até ali! Só tínhamos de calcular o tempo necessário de regresso a Portugal para não sermos apanhados numa mentira que entendíamos inocente... Era tão fácil ir a Marrocos como passar um fim-de-semana em Estremoz ou Vila Nova de Milfontes. Tão fácil que até os progenitores nos julgavam sempre aqui por perto! Vantagens da inexistência de qualquer contacto telefónico. Liberdade e rebeldia faziam a nossa alegria! Tudo variava na forma como a queríamos e a fazíamos. Hoje gostava de ter uma t-shirt daquelas típicas de turista com um 'I LOVE MAROCCO' escrito e uma stylo 'Bic' estampada só para me lembrar das crianças marroquinas com sardaniscas vivas penduradas nos vidros dos nossos carros a pedinchar repetidamente "stylo stylo, un stylo!" e autografada por muitos deles que eram os meus traquinas preferidos da época...

9 comentários:

Gi disse...

UB 40, uma das minhas bandas favoritas ... tb os vi ao vivo 2 vezes ;)
A Marrocos nunca fui :)

waterfall disse...

Isso sim, é viajar!

pensamentosametro disse...

Aiii, os anos oitenta, também tenho saudades de Marrocos É fácil voltar mais vezes, belos tempos em que não existia, ainda, a tirania dos telemóveis.


Bjos


Tita

bjecas disse...

Gostei da parte "...doutro consumível procurado...". Blusões de cabedal?

:P

\m/

Astor disse...

e eu ainda tanto para viver.. e para viajar!

credo.

pensamentosametro disse...

Wo Sie sind??????

Bjos

Tita

Fatima disse...

Bons anos, bons passeios, sem os telemóveis tiranos, como diz a Tita.....

pensamentosametro disse...

Só trabalho e nenhuma galdeirice???

Bjos

Tita

as velas ardem ate ao fim disse...

E agora fiquei cheia de vontade de os ouvir!
bjo e bfs